Debate sobre a importância das abelhas no Desenvolvimento Sustentável

Debate sobre a importância das abelhas no Desenvolvimento Sustentável

Debate sobre a importância das abelhas no Desenvolvimento Sustentável

Escolas do Porto Santo acolheram a iniciativa

As abelhas e o seu papel no Desenvolvimento Sustentável estiveram em destaque em todo o programa da iniciativa “Porto Santo Fest”, que se realizou entre 26 de abril e 1 de junho de 2019, em diversos locais do Município.
2% das abelhas selvagens do planeta são responsáveis pela polinização de 80% das culturas mundiais. Isto significa que, sem abelhas, não haveria frutos silvestres, tomates, abacates, couves, maçãs, amêndoas, laranjas, entre muitos outros alimentos. Cerca de 50% de plantas que são fonte de vitamina A, no sudoeste da Ásia, dependem da polinização feita por animais, como as abelhas [Brittain et al, 2014].
Os especialistas estão preocupados com a diminuição das colónias deste inseto, principalmente na Europa e na América. “As razões para esta quebra nas populações incluem: agricultura intensiva, uso de pesticidas, poluição, introdução de espécies de diferentes partes do mundo, doenças, uso de culturas geneticamente modificadas e alterações climáticas.” [National Geographic, 2019]

As abelhas foram reintroduzidas no Porto Santo em 2014, cerca de dez anos após o surto de uma doença bacteriana ter parado a apicultura nesta ilha. No entanto, os apicultores atuais sentem o impacto das alterações climáticas que levam a maiores períodos de seca, impedindo o crescimento de flores, cruciais para a polinização e o alimento das abelhas.
“Abelha: vilã ou heroína” foi o tema levado às escolas do Município – do Pré-escolar ao Primeiro Ciclo – de modo a promover a sensibilização para a importância das abelhas para o Direito à Alimentação, Produção e Consumos Sustentáveis e Proteção da Vida Terrestre, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.
Este périplo pelas escolas foi levado a cabo por Rute Areal da Direção Regional para a Administração Pública do Porto Santo (DRAPS), Sofia Lopes da AIDGLOBAL e Henrique Rodrigues, apicultor da “Colmeia do Facho”. Vejam-se algumas fotos aqui tiradas em algumas das turmas visitadas, totalizando cerca de 250 alunos.

No dia 27 de abril realizou-se, ainda, a tertúlia “Proteger as abelhas – direitos, ambiente e desenvolvimento”, na Assembleia Municipal do Porto Santo, na qual se visionaram pequenos documentários sobre o tema. Este evento, moderado por Sara Silvino, veterinária da DRAPS, contou com a participação dos seguintes oradores: Francisco Faria, Engenheiro da Direção Regional de Agricultura, Nuno Mira, Engenheiro do Ambiente e voluntário da AIDGLOBAL e Henrique Rodrigues. No evento, estiveram presentes cerca de 15 participantes (fotos aqui).
Cultivar plantas com flores, evitar o uso de pesticidas, reduzir a Pegada Ecológica e comprar mel aos apicultores locais foram as medidas sugeridas a todos em prolde uma Cidadania Global responsável.

O “Porto Santo Fest” foi um evento promovido pela DRAPS, em parceria com a AIDGLOBAL no âmbito do projeto “Educar para Cooperar – Porto Santo e Madeira”, a Associação Cultural e Recreativa do Espírito Santo e a Associação de Produtores da Ilha do Porto Santo.
O projeto referido acima é cofinanciado pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e tem como parceiros a Câmara Municipal do Porto Santo, a DRAPS e o Sindicato dos Professores da Madeira.