Desenvolvimento local e sustentável em debate

Desenvolvimento local e sustentável em debate

Desenvolvimento local e sustentável em debate

Valorizar os sabores da terra no Porto Santo Fest

“Sabores da terra – do local ao global” foi o tema da tertúlia realizada no dia 11 de maio de 2019, no pátio do Restaurante Torres, no âmbito da iniciativa “Porto Santo Fest”. O encontro teve como objetivo debater a problemática da valorização dos “sabores da terra”, de que forma o reconhecimento e divulgação destes “sabores” pode ser crucial para o desenvolvimento local e sustentável.

O evento, moderado por Jocelino Velosa, Diretor Regional da DRAPS (Direção Regional para a Administração Pública do Porto Santo) contou com os seguintes oradores: Roberto Santa Clara (Associação de Promoção da Madeira), Bárbara Spínola (Secretaria Regional do Turismo e Cultura), Alcides Nóbrega (Confraria de Gastronomia da Madeira) e Sofia Lopes (AIDGLOBAL).
Representantes do Município, de restaurantes locais, hotéis e agências de turismo, entre outros interessados, refletiram sobre a importância de estimular a economia local, através do desenvolvimento do turismo sustentável que aposta em produtos locais, na gastronomia tradicional e na valorização da história e identidade da ilha, respondendo em simultâneo aos desafios climáticos atuais.

Através do visionamento de pequenos documentários, os cerca de 30 participantes foram envolvidos na discussão sobre os Objetivos das Nações Unidas, em particular o 12º “Produção e Consumo Sustentável”, e sobre de que forma o desenvolvimento local sustentável tem impacto ao nível do desenvolvimento global.
Os sistemas alimentares locais contribuem para reduzir a pegada ecológica de uma comunidade. Cada alimento percorre uma determinada distância (conceito de “quilometragem dos alimentos”) devido ao transporte entre a zona de produção e o consumidor, o que provoca elevadas emissões de carbono.
As cadeias curtas de comércio são uma das soluções apresentadas tanto com vista a diminuir a emissão de CO2 como ao fortalecimento dos laços sociais entre produtores e consumidores.

A comunicação feita nesta tertúlia, por parte da AIDGLOBAL, realçou os benefícios sociais (emprego, redução da pobreza, saúde,…), económicos (valor acrescentado às produções locais que tendem a ser menos intensivas na mecanização das operações e na utilização de agroquímicos) e ambientais (agricultura menos poluidora, diversidade biológica do solo,…) da valorização dos produtos tradicionais e da produção local.
Consumir fruta da época, optar pelo consumo local justo que respeite e dê o devido valor aos pequenos agricultores, adquirir produtos orgânicos e colocar em prática a política dos 3 R [Reduzir (o desperdício), Reciclar e Reutilizar] foram recomendações deixadas pela AIDGLOBAL como vista ao desenvolvimento local e global mais sustentável (foto do evento aqui).

Desta tertúlia, saiu a decisão de se criar um diretório de gastronomia local que identifique e destaque os pratos que fazem parte da história e memória da ilha.

O “Porto Santo Fest” foi um evento promovido pela DRAPS, em parceria com a AIDGLOBAL, no âmbito do projeto “Educar para Cooperar – Porto Santo e Madeira”, a Associação Cultural e Recreativa do Espírito Santo e a Associação de Produtores da Ilha do Porto Santo.
O projeto referido acima é cofinanciado pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e tem como parceiros a Câmara Municipal do Porto Santo, a DRAPS e o Sindicato dos Professores da Madeira.