Pensar em alternativas para um modo de vida mais sustentável

Pensar em alternativas para um modo de vida mais sustentável

Pensar em alternativas para um modo de vida mais sustentável

Tertúlia e workshop no “Porto Santo Fest”

“Alternativas” foi o tema que envolveu os participantes do Festival “Porto Santo Fest”, no dia 25 de maio, na Quinta da Tamargueira, para uma reflexão sobre o que cada um pode fazer para promover um desenvolvimento mais sustentável.

Após o visionamento de alguns documentários sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os participantes falaram sobre os sonhos que têm para cuidar desta Casa que é de todos (Planeta Terra): mais voluntariado, mais carros elétricos, mais inovação ao serviço do desenvolvimento social e ambiental, melhor distribuição da riqueza a nível local e global, menos lixo nos Oceanos, entre outros.

Depois dos vídeos e do debate, os cerca de 15 participantes, a maioria crianças, arregaçaram as mangas e participaram num workshop de pintura de sacos de pano, tendo cada um levando o seu trabalho artístico para casa.

O impacto do plástico no ambiente e na saúde humana foi uma preocupação partilhada por todos. No entanto, é necessário analisar bem as alternativas, como os sacos de pano, optando, sempre que possível, por produtos orgânicos e fabricados através de processos artesanais. Prova disso é a problemática em torno do algodão, produzido em modo intensivo, que exige muita terra, água e fertilizantes para crescer, precisando de ser colhido, processado e trazido para o mercado, o que implica uma grande pegada ecológica.

Vejam-se algumas fotos dos eventos aqui.

O “Porto Santo Fest” foi um evento promovido pela DRAPS, em parceria com a AIDGLOBAL no âmbito do projeto “Educar para Cooperar – Porto Santo e Madeira”, a Associação Cultural e Recreativa do Espírito Santo e a Associação de Produtores da Ilha do Porto Santo.

O projeto referido acima é cofinanciado pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e tem como parceiros a Câmara Municipal do Porto Santo, a DRAPS e o Sindicato dos Professores da Madeira.

A participação da AIDGLOBAL enquadrou-se no projeto “Educar para Cooperar – Porto Santo e Madeira” cofinanciado pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., que tem como parceiros a Câmara Municipal do Porto Santo, a DRAPS e o Sindicato dos Professores da Madeira.