É Necessário um Maior Foco na Erradicação da Pobreza

É Necessário um Maior Foco na Erradicação da Pobreza

É Necessário um Maior Foco na Erradicação da Pobreza

No dia 28 de novembro foi apresentado o Relatório AidWatch, elaborado pela Concord – Confederação Europeia de ONG de Ajuda e Desenvolvimento.

A qualidade dos programas europeus de ajuda aos países em desenvolvimento pode melhorar e mais fundos devem ser utilizados para combater a pobreza, demonstra o último Relatório AidWatch publicado no dia 28 de novembro pelo Concord – Confederação Europeia de ONG de Ajuda e Desenvolvimento.

O relatório foi apresentado na véspera do aniversário da Cimeira de Ajuda internacional que decorreu no ano passado em Busan, onde a União Europeia (UE) assinou um acordo global para tornar mais eficaz a cooperação para o desenvolvimento.

“A qualidade da ajuda europeia é tão importante quanto a quantidade. A ajuda de boa qualidade capacita as pessoas, melhora os sistemas de saúde e de educação, impulsiona o crescimento equitativo, alivia a pobreza e constrói estados mais eficazes e responsáveis. Para a maioria das pessoas pobres e vulneráveis, a questão de se a ajuda da UE é eficaz e realmente chega a elas é uma questão de sobrevivência”, afirma Paulina Saares, membro AidWatch e da Kepa, ONG Finlandesa.

“Os 27 estados da UE e a Comissão Europeia possuem os seus próprios programas de ajuda, uma situação que segundo este relatório dá origem a maiores gastos burocráticos e a uma desnecessária duplicação de esforços o que aumenta os custos de administração para os países beneficiários. Melhor coordenação entre a Comissão e os estados-membro pode ajudar a melhorar a qualidade da ajuda”, refere Luca De Fraia, membro AidWatch e da ActionAid Itália.

“A subordinação da ajuda formal e informal reduz o montante da ajuda que honestamente pode ser considerada uma real e sustentável transferência financeira para os países em desenvolvimento, o que enfraquece o foco na erradicação da pobreza pois a alocação destes fundos permanece distorcida por objectivos de não desenvolvimento e outros interesses. Apesar da maioria dos estados-membro da UE ter apostado em ajuda desligada na última década, seis países continuam a ligar 30% da sua ajuda ”, diz Amy Dodd, membro AidWatch e da UK Aid Network (UKAN).

Pode consultar o relatório em http://www.concordeurope.org/186-aidwatch-special_report

Notas:
• Este é um relatório da CONCORD que analisa a quantidade e qualidade da ajuda a um nível Europeu.
• O que é a ajuda ligada? Ajuda ligada é a ajuda que é dada com a condição de que o destinatário a usará para adquirir bens e serviços de fornecedores provenientes do país doador.
• Portugal ligou 72,5% da sua ajuda em 2011. Fonte: “Relatório Aid Watch 2012 – Uma Leitura da Cooperação Portuguesa desde 2003”

Fonte: CONCORD

Partilhe no Facebook

 Partilhe no Twitter