Escola Europeia de Inverno 2021

Escola Europeia de Inverno 2021

Escola Europeia de Inverno 2021

A Escola Europeia de Inverno contou com a participação de mais 20 jovens líderes de diferentes escolas de toda a Europa para a criação de um Manifesto sobre a Crise Climática.

A 15 de janeiro do ano corrente, decorreu, em formato virtual, a Escola Europeia de Inverno, no âmbito do Projeto Europeu “Walk the Global Walk: Mobilizar os jovens europeus em torno dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

O evento envolveu mais de 70 participantes, incluindo representantes dos 11 países parceiros do projeto — a Albânia, a Bósnia & Herzegovina, a Bulgária, a Croácia, o Chipre, a França, a Grécia, a Itália, Portugal, a Escócia e País de Gales. Contou, ainda, com a participação de intervenientes externos, a convite de todos os parceiros, designadamente Kirsty Leask, gestora de projeto “Aprender para a Sustentabilidade da Escócia”, Nicola di Virgilio, investigador da Comissão de Agricultura e Desenvolvimento Rural, em representação da União Europeia, e membros de Municípios Locais:  Giorgos Antonopoulos do Município de Fyli, Grécia e Catarina Conde do Município de Vila Franca de Xira, Portugal.

A Escola Europeia de Inverno foi uma das atividades planeadas, em 2020, por todos os stakeholders do projeto. Neste encontro virtual, constituíram momentos muito significativos a partilha do Manifesto sobre a Crise Climática, elaborado pelos alunos e jovens líderes de várias escolas, e, em particular, a sua entrega às entidades competentes, incentivando-as a assumirem os seus compromissos e tomarem medidas educativas e ambientais mais sustentáveis e que contribuam para mitigar as consequências que tanto afetam negativamente o Clima.

Sublinhe-se que o Manifesto sobre a Crise Climática foi concebido a partir de uma discussão envolvente e informada entre os alunos que decorreu antes e durante a Escola Europeia virtual de Inverno e resultou num debate profundo e bastante informado em que participaram esses jovens, os responsáveis educativos e profissionais de sustentabilidade, focando as medidas urgentes contra a mudança global do clima e os seus impactos e impactes para que se alcançasse o ODS 13, cumprindo a Agenda 2030.

O Manifesto não só reflete dois dos mais significativos propósitos ambientais dos alunos — a reciclagem e o menor uso do plástico — mas também formaliza um apelo para um maior financiamento em matéria de educação ambiental, nas escolas e na sociedade.

Na Escola Europeia de Inverno salientou-se o potencial dos jovens como futuros agentes de mudança e líderes climáticos, pelo que importa que sejam ouvidos e envolvidos nas tomadas de decisões, para que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável sejam alcançados.

Alinhado com a Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento 2018-2022, o projeto “Walk the Global Walk” tem como objetivo ampliar os espaços de promoção da Cidadania ativa por parte dos jovens e potenciar o seu envolvimento em torno dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  Mais sensibilizados para os ODS 11, 13 e, agora, para o ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Fortes, os jovens terão um papel ativo numa sociedade em transformação.

O projeto é cofinanciado pela Comissão Europeia ‒ Linha de Educação para o Desenvolvimento ‒ e pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua I.P., tem a duração de 36 meses e envolve 11 países e 20 entidades parceiras. Nele participam, a par de Portugal, a Itália, a França, o Chipre, o Reino Unido (País de Gales e Escócia), a Grécia, a Croácia, a Bulgária, a Roménia, a Bósnia e Herzegovina, a Albânia e 11 organizações da sociedade civil (OSC). Cada país está representado por um Município e uma OSC, as quais colaboram na qualidade de parceiros técnicos das autarquias.

Mais informações em: