2021 declarado Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil

2021 declarado Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil

2021 declarado Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil

No âmbito da comemoração do Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil, aprovado pela ONU, os alunos do 9º B da Escola B+S Prof. Dr. Francisco de Freitas Branco, Porto Santo, foram convidados a aprenderem e/ou aprofundarem os seus conhecimentos  sobre o tema, refletindo sobre a realidade mundial, em articulação com os conteúdos das disciplinas de Matemática, Geografia, Cidadania, Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC)e Educação Moral e Religiosa.

De maneira a vivenciarem o tema, os jovens entrevistaram alguns seniores sobre como era a vida antigamente ― se tinham tempo para brincar, com que idade começaram a trabalhar e o motivo de terem começado nessa altura. A média de idades de início de trabalho situava-se nos 11 anos e os principais motivos eram as dificuldades financeiras e a ajuda familiar. Esta partilha encheu a sala de corações com palavras e postais de agradecimento pelo testemunho de vida dessas pessoas.

Os alunos e as alunas ficaram, também, a conhecer um pouco mais sobre o que é, realmente, o trabalho infantil, através do estudo das probabilidades ( conteúdo da disciplina de Matemática),  da reflexão sobre a importância das instituições, públicas e privadas,  e dos consumidores que deverão estar despertos para esta problemática.

Integrado no âmbito do Plano de Ação “Da Escola para o Mundo – Agir, Incluir, Transformar”, o projeto mobilizou os jovens à ação, promovendo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), nomeadamente o Trabalho Digno e Crescimento Económico (ODS 8) e a Redução de Desigualdades (ODS 10).

O trabalho desenvolvido foi documentado no Website do Ano Internacional, estando disponível neste link.

A 25 de julho de 2019, a  Assembleia Geral das Nações Unidas adotou uma resolução que declarou 2021 como o Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil e, na qual, se previam os compromissos dos Estados membros para “tomarem medidas imediatas e efetivas para erradicar o trabalho forçado, acabar com a escravidão moderna e o tráfico de seres humanos e assegurar a proibição e eliminação das piores formas de trabalho infantil, incluindo o recrutamento e uso de crianças-soldados e, até 2025, acabar com o trabalho infantil em todas as suas formas”.

O Plano de Ação “Da Escola para o Mundo – Agir, Incluir, Transformar” é promovido pela AIDGLOBAL, em parceria com a Escola B+S do Porto Santo. Enquadra-se no Programa Cidadãos Ativ@s (EEA Grants), gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Bissaya Barreto, através do projeto Educação para a Cidadania, implementado pela Fundação Gonçalo da Silveira e pelo Centro de Investigação para o Desenvolvimento Humano da Universidade Católica Portuguesa.