AIDGLOBAL lança campanha de consciencialização para o voto jovem

AIDGLOBAL lança campanha de consciencialização para o voto jovem

AIDGLOBAL lança campanha de consciencialização para o voto jovem

Em vésperas de eleições autárquicas, a campanha “Bora lá, Sai do Sofá!” regressa às ruas para desafiar os jovens a votar em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

“Liga-te ao que importa. Escolhe hoje o mundo de amanhã” é o slogan da campanha “Bora lá, Sai do Sofá!” que a AIDGLOBAL – Acção e Integração para o Desenvolvimento Global promove para despertar jovens, entre os 15 e os 25 anos, e jovens adultos, entre os 26 e os 34 anos, para a importância de se envolverem em mecanismos de participação política, como por exemplo, o voto, em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Integrada no âmbito do projeto Jovens na Política – Participar para a Cidadania Global (2ª Ed.), a campanha procura mobilizar os(as) jovens à ação, envolvendo-os(as) não só nas questões do Desenvolvimento e da Cidadania Global mas também na reflexão sobre o impacto que a política pode ter em matérias como aquelas que circundam a dignidade humana, o respeito pelo meio ambiente, as questões de género, entre outras.

O recurso a diversos elementos de comunicação (imagem e vídeo) que serão veiculados através das redes sociais do projeto, designadamente a partir das páginas do Facebook e Instagram denominadas “ActGlobal”, serão a principal forma de comunicação da campanha. O objetivo é ir ao encontro dos jovens procurando interagir com eles no lugar onde, neste momento, passam mais tempo.

O incentivo à realização de vídeos, o convite à leitura dos programas eleitorais dos vários partidos, a pesquisa, nesses programas, de palavras alusivas a temáticas como, a título de exemplo, os direitos humanos, mas, também, o envolvimento de figuras públicas e influenciadores capazes de se aliarem a este projeto e de o comunicarem junto dos seus simpatizantes e/ou seguidores, são algumas das metas que configuram o plano de comunicação da campanha, cujos conteúdos emergem alinhados com a sensibilização para temas como a justiça social, a dignidade, a equidade e a importância de se alcançarem os ODS, previstos na Agenda 2030.

A campanha estará a circular nas redes sociais, de 26 de julho a 26 de setembro, dia das eleições autárquicas, e “é crucial que todas e todos se envolvam”, sublinha Susana Damasceno, Fundadora e Presidente da Direção da AIDGLOBAL. Apesar de esta campanha apresentar como finalidade específica “a mobilização da comunidade juvenil rumo às urnas, no contexto das eleições autárquicas, há um propósito maior que lhe subjaz e que diz respeito à capacitação dos jovens para que se tornem cidadãos e cidadãs globais. É através do incentivo da juventude para a cidadania global, do investimento na Educação para o Desenvolvimento (ED) e da Cooperação para o Desenvolvimento (CpD) que criamos as bases para um mundo mais justo e sustentável”, refere Susana Damasceno.

A Presidente da AIDGLOBAL ressalva, ainda, a “importância de se fazer acompanhar a cidadania global de uma consciencialização para a importância de um agir local”. Ligar as necessidades das pessoas às suas realidades locais e tornar o seu envolvimento relevante para o contexto em que vivem e para a comunidade à qual pertencem é um passo para a transformação global, que tem início numa ação individual e local. Da mesma forma, o voto local é, também ele, um voto global. Esta é, aliás, uma das principais mensagens que queremos transmitir através desta campanha”, conclui.

De acordo com estudos desenvolvidos nesta matéria, o baixo envolvimento dos jovens nas questões de Desenvolvimento e de Cidadania Global é, frequentemente, associado ao seu descontentamento face às políticas partidárias que, por sua vez, está relacionado com um problema de representação e de não identificação com a forma de se fazer política, em Portugal. Em declarações ao Jornal Público, num artigo publicado em 2014, o politólogo André Freire reconhece que, em Portugal, há “um distanciamento [por parte dos jovens] provocado por um problema de representação. Por sua vez, este acaba por originar o problema da falta de identificação ―  se os jovens sentem que não estão a ser representados, não se identificam com os políticos e com a política”.

Envolver a juventude e torná-la parte integrante do processo de definição das políticas que dão forma ao mundo e à sociedade à qual pertence é um dos propósitos do projeto e da campanha “Bora lá, Sai do Sofá!” que, num convite à (re)ação, se propõe agitar consciências e mobilizar os jovens a escolherem o projeto de vida que querem viver.

O projeto “Jovens na Política – Participar para a Cidadania Global (2ª Ed.)” é cofinanciado pelo Camões, I.P., é promovido pela AIDGLOBAL – Acção e Integração para o Desenvolvimento Global, e tem como parceiros a Câmara Municipal de Santarém, o Centro de Estudos Internacionais do ISCTE, o Centro de Juventude de Lisboa (CJL) do IPDJ, I.P., a Dypall Network, a FNAJ, e conta com o apoio da Mypolis.

 Mais informações em: