Ciclo de Inaugurações de Escolinhas Comunitárias termina com Inauguração da Escolinha de Malehice

Ciclo de Inaugurações de Escolinhas Comunitárias termina com Inauguração da Escolinha de Malehice

Ciclo de Inaugurações de Escolinhas Comunitárias termina com Inauguração da Escolinha de Malehice

A iniciativa é promovida no âmbito do projeto “Educadores em Movimento – Uma Educação Itinerante para a Primeira Infância”.

A manhã do dia 22 de abril foi marcada por mais uma inauguração, desta vez, na comunidade de Malehice, Distrito do Chibuto, Província de Gaza, Moçambique. Esta é a última de um ciclo de cerimónias realizadas, entre os dias 11 e 22 de abril, no sentido não só de oficializar a abertura de cinco Escolinhas Comunitárias – através das quais se pretende potenciar a resposta dada a crianças, entre os 0 e os 5 anos, que vivem nesta região do país e que não têm acesso à Educação Pré-Escolar –, mas também com o propósito de celebrar o acesso igualitário e alargado à Educação, nomeadamente quando destinado a uma franja da população que, de outra forma, dificilmente a ela teria acesso.

A cerimónia de inauguração principiou com o acolhimento dos/as convidados/as por parte dos/as representantes da Comunidade e pela equipa da AIDGLOBAL, seguido de um momento cultural com o grupo de dança “Macuaela” e de uma apresentação dos alunos do 1º e 2º Graus da Escola Primária de Malehice.

Este momento cultural antecedeu as intervenções do técnico do Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS), Rodrigues Matusse, da Presidente da AIDGLOBAL, Susana Damasceno, da representante do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Maria Antónia Barreto e da representante do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., Dra. Patrícia Pincarrilho.

Em cada um dos momentos discursivos foi notório o reconhecimento do impacto que o investimento na Educação para a Primeira Infância pode ter, designadamente no quadro do desenvolvimento do capital humano que, por sua vez, salvaguarda o desenvolvimento sociopolítico, cultural e económico de um país. A ideia de que é nestas crianças que está o amanhã de Moçambique atravessou a mensagem subjacente a cada uma das intervenções, razão pela qual, foi reiterada a constatação de que a Educação não pode, nunca, ser um investimento adiado sob pena de, nesse adiamento, estarmos, também, a protelar a construção e a vivência de um futuro mais justo, igualitário e sustentável por parte das gerações vindouras.

Aquele que constituiu um momento de maior formalidade foi precedido da entrega das batas das Educadoras e das crianças, por parte do Administrador do Distrito, ao qual se seguiram a apresentação de canções e a oferta de capulanas à Presidente da AIDGLOBAL, enquanto gesto de gratidão manifestado por parte das Educadoras e dos vários membros do Conselho de Gestão Comunitária da Escolinha de Malehice.

De seguida decorreram as intervenções do Director do SDSMAS, José Murrona, do Director do SDEJT,. Ernesto Macamo e, por fim, da Chefe da Localidade de Malehice, Domingas Alfredo Dove, que esteve em representação da Chefe do Posto Administrativo de Malehice.

Por ocasião de cada uma das intervenções voltou a ser destacada a importância que as Escolinhas representam no contexto do desenvolvimento do Distrito, bem como o impacto que a mesma já está a ter no desenvolvimento integral das 58 crianças que a frequentam.

No âmbito da cerimónia foram, ainda, oferecidas duas motorizadas aos Diretores dos Serviços Distritais, entidade responsável pela monitorização da Escolinha.

O discurso do Administrador e a oração religiosa proferida por um dos membros da comunidade marcou o desfecho da cerimónia.

Educadores em Movimento – uma Educação Itinerante para a Primeira Infância” tem como financiador principal a Fundação Calouste Gulbenkian, como cofinanciador o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., como promotor a AIDGLOBAL, gestora do projeto, como copromotor o Centro Vocacional e Residencial do Chibuto (CVRC), e como parceiros o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), seu coordenador científico-pedagógico, pelo Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI – Iscte) coordenador da componente antropológica, pelo Serviço Distrital da Juventude, Educação e Tecnologia do Chibuto (SDJET) e Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS) – entidades que garantem a articulação do projeto com as políticas públicas.