Fundação Manuel António da Mota apoia intervenção da AIDGLOBAL, em Moçambique

Fundação Manuel António da Mota apoia intervenção da AIDGLOBAL, em Moçambique

Fundação Manuel António da Mota apoia intervenção da AIDGLOBAL, em Moçambique

A atuação da AIDGLOBAL, em Moçambique, tem vindo a ser desenvolvida não só com o objetivo de combater os níveis de iliteracia em determinadas regiões do país, mas também no sentido de promover, em estreita articulação com o governo moçambicano e as autoridades locais, uma maior oferta e um acesso igualitário a serviços de Educação para a Primeira Infância.

Este último tem sido um dos maiores desafios para a AIDGLOBAL, designadamente no âmbito do projeto “Educadores em Movimento”, ao abrigo do qual foram inauguradas, entre os dias 11 e 22 de abril, cinco Escolinhas Comunitárias, em cinco comunidades onde a AIDGLOBAL atua, localizadas no Distrito do Chibuto, Província de Gaza, Moçambique.

Pese embora a importância capital do projeto supramencionado para alavancar atividades como esta, que garantirá o acesso à Educação para a Primeira Infância a cerca de 300 crianças, a intervenção da AIDGLOBAL não se esgota nas atividades previstas em sede de candidatura, o que significa que todo o apoio que entidades parceiras possam ceder à AIDGLOBAL contribuirá para que esta possa potenciar o apoio prestado, no terreno, designadamente junto de crianças e jovens, de mães, pais, cuidadores/as, educadores/as e/ou professores/as.

A Fundação Manuel António da Mota, que tem por fins estatutários a promoção, o desenvolvimento e apoio a iniciativas de natureza social nos domínios da beneficência e da solidariedade social, e de natureza cultural nos domínios da educação, saúde, ambiente, organização e apoio à atividade artística, apoia a missão conduzida pela AIDGLOBAL e contribui, desta forma, para dar continuidade àquela que tem sido a sua intervenção no sul de Moçambique.

O reforço da oferta e da qualidade educativa no campo da Educação para a Primeira Infância tem sido sublinhado, sobretudo ao longo da última década, por parte do governo moçambicano. Exemplo disso são o Plano Estratégico da Educação 2012-2016, a Estratégia de Desenvolvimento Integral da Criança em Idade Pré-Escolar 2012-2021 (DICIPE) e, mais recentemente, o Plano Estratégico da Educação 2020-2029. Cada um deles partilha convicções em comum, entre as quais se destacam o reconhecimento da Educação enquanto ferramenta terminante para o combate à pobreza e a constatação de que esta é crucial para o reforço da democracia e para um crescimento económico sustentável. O Plano Estratégico da Educação 2020-2029, atualmente em vigor, acompanha estas preocupações e reforça a necessidade de uma resposta sustentada a uma Educação para a Primeira Infância que, de acordo com a publicação “Educação de Infância em Moçambique: um estudo sobre as Escolinhas Comunitárias do Niassa” (2021) – produzida no âmbito do Projeto Othukumana – Reforço das Capacidades da Rede de Educação Pré-Escolar na Província do Niassa” –, apresenta taxas de matrícula ainda baixas com apenas “3,5% das crianças matriculadas e um grande défice de infraestruturas pré-escolares”.

Há, por todas as razões, um caminho que deve continuar para que se torne possível a inversão destes números.

A AIDGLOBAL agradece à Fundação Manuel António da Mota pela forma solidária e socialmente responsável com a qual se entrega a causas como esta, juntando-se, neste caminho, à AIDGLOBAL para que, em conjunto e numa parceria sustentada, seja possível promover a Mudança, através da Educação, por um mundo mais justo, pacífico, igualitário e sustentável.

Espreite, de seguida, o vídeo de agradecimento da AIDGLOBAL à Fundação Manuel António da Mota.