AIDGLOBAL capacita 46 mulheres em Educação de Infância

AIDGLOBAL capacita 46 mulheres em Educação de Infância

AIDGLOBAL capacita 46 mulheres em Educação de Infância

Um resultado de duas capacitações em Educação de Infância (EI), realizadas entre 2019 e 2021, no âmbito do projeto “Educadores em Movimento – Uma Educação Itinerante para a Primeira Infância” que completa, em 2022, o seu último ano de atividade.

A salvaguarda do direito à Educação e a promoção de uma melhor formação das crianças tem constituído uma das prioridades na linha de ação política do Governo de Moçambique e constitui uma das principais preocupações que atravessa o projeto “Educadores em Movimento – Uma Educação Itinerante para a Primeira Infância”.

Para garantir uma melhor formação das crianças é importante investir na capacitação de recursos humanos locais para uma resposta de proximidade em matéria de Educação de Infância. Por este motivo o projeto tem vindo a apostar no empoderamento de mulheres das cinco comunidades em que este está a ser implementado desde 2017. Por esta razão, tem-se vindo a promover várias iniciativas formativas que já envolveram 46 mulheres.

O roteiro formativo, que levou à capacitação destas 46 mulheres, iniciou em 2019,  por ocasião da realização de uma capacitação em Educação de Infância (EI), entre outubro e novembro de 2019, dirigida a 30 jovens mães com vocação para trabalhar na área da EI e indicadas pelas suas comunidades pelo seu nível de integridade. Esta capacitação envolveu 22 mulheres com idades compreendidas entre os 30 e os 50 anos de idade, sendo que, deste grupo de participantes foram selecionadas e recrutadas 10 mulheres que já haviam sido notificadas pela comunidade pelo seu nível de integridade, e que, após capacitadas, receberam o estatuto de “Educadoras em Movimento”.

A capacitação – traduzida em 120h em sessões teórico-práticas, sucedidas por 40 horas on the job – abordou temas como pedagogia, educação itinerante, aprendizagem através da natureza, intervenção precoce, abordagem ao português como segunda língua, empreendedorismo, liderança, entre outros. A iniciativa contou com a formadora internacional Bru Junça, Educadora de Infância e Contadora de Histórias, e com os formadores locais Argentina Nhamuave, da Direcção Provincial de Género, Criança e Acção Social e Rodrigues Paulo Matusse, do Serviço Distrital da Saúde, Mulher e Ação Social, assessorados pela equipa da AIDGLOBAL, constituída por Castigo Tchume e Rita Lopes.

A eclosão da pandemia, em março de 2020, condicionou o arranque das atividades de Educação de Infância Itinerante (EII) inviabilizando a dinamização destas atividades pelas 10 mulheres – Educadoras em Movimento –, em cada uma das suas comunidades: Bairro 25 de Junho, Chaimite, Chiconelane, Maivene e Malehice.

Não obstante o impacto provocado pela pandemia, e no sentido de manter o grupo unido e motivado, continuou-se a investir no fortalecimento de competências destas Educadoras, através da realização de 16 Oficinas Pedagógicas que ocorreram entre março e outubro de 2020, em cada uma das cinco comunidades.

Seguidas e lideradas pela educadora comunitária, Ledieta Bombe, com o apoio da Auxiliar de Ação Educativa, Vitória Mucavel, as Oficinas Pedagógicas contaram ainda, pontualmente, com o apoio de Susana Damasceno, coordenadora do projeto, e da consultora Sara do Rosário, na preparação e dinamização dos vários momentos pedagógicos.

De acordo com Susana Damasceno, Coordenadora do Projeto e Presidente da AIDGLOBAL, “estas Oficinas Pedagógicas representaram um complemento ao trabalho inicial de capacitação destas mulheres que terão um papel fundamental na implementação da abordagem educativa itinerante que o projeto-piloto “Educadores em Movimento – Uma Educação Itinerante para a Primeira Infância” visa alcançar.

Em 2021, ainda em contexto pandémico e no sentido de assegurar as medidas de contenção determinadas pelo governo moçambicano, foi necessário recrutar e capacitar mais mulheres de cada uma das cinco comunidades para participarem em mais uma capacitação teórico-prática no contexto da Educação de Infância, e desta forma, aumentar o número de Educadoras em Movimento disponíveis para assegurar as atividades com as crianças.

Esta segunda capacitação em Educação de Infância Itinerante decorreu de 9 de março a 16 de abril nas comunidades de Maivene, Chiconelane e Chaimite, e foi ministrada por Castigo Tchume e Ledieta Bombe. Nela participaram 24 mulheres, juntando-se a estas as 6 Educadoras em Movimento, capacitadas em 2019.

No contexto desta capacitação, optou-se por agrupar mulheres de duas comunidades, tendo sido constituídos três grupos formativos com os quais foram realizadas 8 sessões teórico-práticas. A vantagem dos grupos se reunirem em três das cinco comunidades onde o projeto está a ser implementado foi o de ficarem a conhecer os espaços – também designados por Escolinhas – nos quais estão previstas as atividades de EII.

Ao longo dos vários momentos formativos as futuras Educadoras foram capacitadas para pensar criticamente sobre o conceito de infância, sobre o que significa e sobre o que implica ser criança, sem esquecer todos os cuidados que devem ser acautelados em termos de nutrição, nomeadamente durante o período de gestação. A capacitação incluiu, também, um conjunto de conteúdos relacionados com as regras que devem orientar e acompanhar as atividades dinamizadas pelas Educadoras nas Escolinhas Comunitárias, tais como a abordagem para o Desenvolvimento da Primeira Infância e o funcionamento das Escolinhas. Salvaguardar as condições de segurança e de higiene do espaço, garantir o bom uso do material escolar e garantir um bom relacionamento entre todos os elementos envolvidos na vida escolar, foram igualmente alguns dos tópicos em destaque no contexto de cada um dos momentos formativos.

Educadores em Movimento – uma Educação Itinerante para a Primeira Infância” tem como financiador principal a Fundação Calouste Gulbenkian, como cofinanciador o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., como promotor a AIDGLOBAL, gestora do projeto, como copromotor o Centro Vocacional e Residencial do Chibuto (CVRC), e como parceiros o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), seu coordenador científico-pedagógico, pelo Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI – Iscte) coordenador da componente antropológica, pelo Serviço Distrital da Juventude, Educação e Tecnologia do Chibuto (SDJET) e Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS) – entidades que garantem a articulação do projeto com as políticas públicas.